logo
Cultura & Variedades
     

03/10/2018
Conheça uma das histórias inusitadas em livro sobre Padre José Duque

Narrativas populares foram resgatadas, reescritas e publicadas em obra gratuita

Arte: Aléssio Pires e Deividson Costa

O Sr. José Gomes fora dedicado trabalhador, servindo e atuando sacrificialmente durante anos na Fazenda do Pombal, então sob propriedade e administração dos senhores Sílvio e José Flávio.

Sua esposa, senhora de notáveis virtudes, mãe de família e cidadã, merecidamente tinha a estima geral. No entanto, eis que aparece com graves problemas comportamentais, com enfermidade psíquica. Obsessão para alguns, simples loucura para outros, grandes transtornos para a paciente, familiares e amigos.

Tratamentos com médicos de renome, benzedores, curandeiros e outros não surtiram efeito. O “espírito” que estaria tomando a mulher – dizia-se – era “forte”.

Assim, o Padre Elpídio de Freitas, vigário coadjuvante na época, é chamado para acalmar e – quem sabe – aliviar o sofrimento da senhora. Logo que adentra a residência, ele é ridicularizado pelo “espírito” ou “encosto”, que o chama de “homem de saia”, além de outros impropérios. Insucesso.

A família, em última instância, apela ao Padre José Duque, vigário titular e exorcista. Ele se desloca até o lar, incontinente, invocando o nome de Cristo e desenvolvendo pequeno ritual... Ordena que o obsessor deixe de importunar aquela senhora e abandone de vez aquele lugar. O espírito, retirando-se, diz ao seu algoz:

 – Com o senhor e seu poder sacerdotal eu não posso. Vou fazer o que me manda!

Mas, completou:

– Se fosse outro padre, oh... eu não sairia!

O religioso fervoroso; o boa-praça contador de histórias; o analista social afiado; o pastor paciente; o defensor das crianças. Todas essas facetas de Padre José Duque, um dos párocos mais conhecidos de São Tiago, são contadas em obra que leva seu nome e pode ser baixada clicando aqui.

WhatsApp Email LinkedIn Google+